terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Real dimensão de Gonçalo Paciência ainda por apurar

Gonçalo Paciência representou Portugal diante dos EUA
Gonçalo Paciência é um nome no qual os adeptos do FC Porto e da Seleção Nacional depositavam grandes expetativas, até pela escassez portuguesa no que a pontas de lança diz respeito. Numa fase em que já se começava a falar do filho de Domingos como uma promessa adiada, surge a primeira internacionalização, ainda que em condições anormais, mas no culminar de um bom início de época no Vitória de Setúbal.

Esse bom arranque tem vindo a contrastar com o da equipa e, de repente, o recém-consagrado internacional AA volta a ver-se num contexto de um conjunto de bloco médio/baixo, pouco volume ofensivo e acompanhado por colegas intranquilos e pouco confiantes. Enfim, um conjunto de condicionantes a fazer lembrar o que viveu há dois anos na Académica, que não lhe permitem um desenvolvimento mais acelerado e que não deixam perceber qual a real dimensão do futebol dele.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Couceiro será sempre parte da solução

José Couceiro orienta o Vitória pela terceira vez na carreira
Os maus resultados do Vitória de Setúbal sucedem-se e, como é natural nestes casos, o treinador é posto em causa. O próprio José Couceiro já admitiu que o seu lugar “está sempre à disposição” e que quer fazer “parte da solução” para o clube ou então “não fazer parte”, mas nunca fazer parte do problema.

Contudo, se é natural que o treinador seja questionado, é menos comum a realidade deste caso. Couceiro apenas é posto em causa pela imprensa porque, para os adeptos, está de pedra e cal – até para a dita oposição à direção demissionária. A relação entre o técnico e o clube é antiga, tem ficado marcada pela maior parte das melhores épocas dos sadinos no século XXI e, sobretudo, não se esgota em resultados.

sábado, 25 de novembro de 2017

Gelson Martins e a falta de HD

Futebol de Gelson Martins necessita de ganhar resolução
Gelson Martins é, indubitavelmente, o jogador mais desequilibrador deste Sporting. A sua qualidade individual serve para ultrapassar e contornar defesas, abrindo espaços e caminhos para a baliza adversária, dando um plus ao jogo ofensivo montado por Jorge Jesus.

O extremo de 22 anos tem, como nenhum outro no plantel, um vasto reportório de fintas, contrastando com as características de Acuña ou Bruno César, e conseguindo ser (muito) mais preponderante do que Daniel Podence e Iuri Medeiros.